segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Legado


Por que tanto cuidado, meu bem?
Palavras escolhidas, a não contradição
É isso que se aprende na escola da traição?
Ou na porra da faculdade do vade-mete e mecum-vem

Ah, não me venhas com o ato perfeito
A vazia denúncia, a procrastinada intenção
Ou com as tuas tautologias de segunda e terceira mão
As minhas cabeças merecem um pouco mais de respeito

Mas não temas expor teu casto corpo ao delito
Nessa refrega é que estarei mais bem presente
No rábeas córpus em que já me pronunciei indecente
São teus ouvidos o eterno fórum dos meus gritos

Nenhum comentário: