segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

És Portuguesa, com Certeza

Ave santo lexicógrafo
Gramático minimalista
Lusófonos tarados

Eis hiper-retro tacógrafo
Na autoestrada simplista
Dos buracos mal tapados

Temendo o trema às vistas
Liquefacientes linguistas
Caçam antirreformistas

Viva! ao editor que extorque
Com anticultura patética
Imprimindo dicionários

Resguarde-se à nova iorque
Consoante a neoestética
Tais virginais relicários

Nas escrituras da hora
Deem-se todos em paranoia
Ilustre-se o chão co'essa cera

Mais um pouco não demora
Da serpente fazerem jiboia
A maçã descendo à pera

Averigúe, pacata plateia
Cordial cordata à alcateia
Não veem brilhante a ideia?

Se acentua-se mal o leitor
Na feiura causando enjoo
De assentos que não se leem

Entra polo cu d'escritor
Um caralho em raso voo
Ai daqueles que não creem

Nenhum comentário: