domingo, 14 de dezembro de 2014

Aquarela



A aldeia está pálida. A bananeira acena um desvalido verde-ouro. O chuchu adicionou mais pegadas à laje. Vinte e cinco tons de cinza recobrem monocromáticos leitos de barro. Um cachorro em P&B irrompe com o que sobrou da ferrugem dos elos. Os pigmentos do céu repousam no fundo da lata. A conspiração in-sol-vento não revolve nem solve.

É domingo. Faltou cor. Faltou gente.


Nenhum comentário: