sábado, 3 de outubro de 2009

Primeira Vez

                 A primeira vez nunca será a melhor. Poderá conter brutalidade, desconforto. Ou não. Mas prevalecerá a memória do inusitado, dos anseios confluindo. Talvez a naturalidade casual seja preferível à premeditação. Haverá alguma hesitação, em que o fluxo sanguíneo se incumba de dar vazão.

                 ...

                 Sentindo a pressão na virilha, deslizou os dedos pelo volume. Puxou, açodadamente, por cima da cintura e, em vias de consumar, esganiçou: "— Perdeu!"

Nenhum comentário: