quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Predador

                 A mola da vida já forçou 53 dentes nessa engrenagem que não retroage. Apesar dos cigarros, o olfato continua muito cru. Quem se sofisticou foi o apetite, justificando exigência aos caninos.

...

                 A invasão da luminescência esbarra nas frestas da persiana. Rasteiro, espreito respiração, movimento mínimo que aguce. O fugidio atiça, orelhas felinas captando o lânguido espreguiçar nas estepes, acetinada denúncia da pilosidade feminina.

                 Sorrateiro, aperitivo seu pé; geme, ferida. Lambo a cor da epiderme, abocanho a junta que se desdobra; defende-se, entregando. Cravo os lábios na jugular e me sacio no estertor.

Nenhum comentário: