sexta-feira, 23 de novembro de 2007

E tudo acaba em pizza



Ao vinho que embebeda
erga-se solene a taça
Alva toalha estendida
maculada na trapaça

Na consistência da massa
todas são pura farinha
Mérito de quem amassa
mãos firmes na cozinha

Salta uma à calabresa!
Lá vai picante lingüiça
Estas tiras com certeza
são escárnio da carniça

Anunciada patativa:
Atum! (mofada sardinha)
Enlatada és cativa
Solta-te, oh coitadinha!

Quatro queijos, tem parmesão
catupiri, provolone
Falta um? Ah, que distração!
Meta a boca no trombone!

Agora, a de coração!
Cacófato, desalinha
Estrebuche-se o glutão
co'a entranha da galinha

Ei, garção! Por gentileza!
Há quem goste de ver-du-ra
Vegetarianos à mesa
Festival da impostura

Chegando a de camarão!
Inspirando a rodada
Cabeças não mais rolarão
A vontade é saciada

Neste cardápio soberbo
Vale até a requentada
Poeta, digno teu verbo
D'uma bela espinafrada

Assim, de boca em boca
Rodízio da descarada
Cínica, a jura é oca
Em pizza tudo acaba

Um comentário:

Marielle Sant'Ana disse...

Meu nome verdadeiro:

Marielle A. S. Sant'Ana

M. A. S. S. A.

heheheheheeheeeeeeeeeeeeeeee