quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Em nome do Amor

Olhe minhas mãos... Olhe!
É o teu sangue que por elas escorre!
Estou hirto. Mortificado.
Em nome do Amor...

Teu corpo jazente.
Tua respiração convulsiva.
No olhar nem há medo. Desesperança.
Em nome do Amor...

Olhe minhas mãos... Olhe!
Mãos que te afagaram. Que te possuíram.
Agora ensangüentadas.
Em nome do Amor...

Por que não olhas minhas mãos?
Por que me olhas nos olhos?
Se já nada podes ver?
Em nome do Amor...

Olho minhas mãos.
Mãos assassinas. De ti?
Não. Passional ilusão!
Em nome do Amor...

Nenhum comentário: