domingo, 26 de agosto de 2007

Chuvas de Inverno

Esta chuva que desce sem cessar
Em mais um dia frio e distante
Roubando o Sol que me faz pensar:
Um astro me une ao teu quadrante

Chuvas de Inverno, descem e vão
Encharcando-me dos pés à fronte
Límpidas lágrimas de solidão
Colhidas, talvez, em tua fonte

Desçam à terra, águas de agosto
As plagas reguem do meu Inferno
Derribem um pranto em desgosto
Incontido nas chuvas d'Inverno

Nenhum comentário: