domingo, 16 de março de 2008

Simples


É tão simples meu Amor
Como pétalas de gerânio
Vai e vem, doce sabor
Me tomando, momentâneo

Não há heroísmo nem lenda
Só um andar de mãos-dadas
Nos campos de uma fazenda
A esmo, horas não contadas

É tão simples meu Amor
Só quero o teu regaço
E absorver teu calor
No conforto de um abraço

Não há volúpia nem sedução
Não há tristeza nem dor
Não se decante, pois, a paixão
Se é tão simples esse Amor...

Nenhum comentário: