sexta-feira, 5 de outubro de 2007

Telas

Vertem-se luzentes arremedos
Dos túneis ensombrados faíscam
E d'Alma vão à ponta dos dedos
Em Tintas outras o Plano riscam

Transmutando matizes ao Verso
Ilumina-me o Mestre da Tela
A paleta se faz Verve e terço
Sinergias em pálida aquarela

Inspirai-me, oh van Gogh, ainda
Em circulares versos pincelar
O retrato d'um Amor que finda

Que d'Amor, insanos, em tal senda
Enveredam idêntico trilhar
Vai-te Musa! Outra que m'acenda!

Nenhum comentário: